• Home
  • /
  • Notícias
  • /
  • Hospital Regional Público de Castanhal realiza bloquinho itinerante com o tema “Xô infecção!”

Hospital Regional Público de Castanhal realiza bloquinho itinerante com o tema “Xô infecção!”

Ainda no clima de carnaval, o Hospital Regional Público de Castanhal (HRPC), realizou nesta sexta-feira, 24, o bloquinho “Xô infecção!” que levou em forma de músicas de carnaval o tema da meta 5 do protocolo de Segurança do Paciente: a higienização correta das mãos.

“Pegue o álcool em gel e me dê a sua mão, pode ser também com água e sabão” – com este verso cantado pela equipe multidisciplinar e participantes do Grupo de Trabalho Humanizado (GTH), o hospital trabalhou com colaboradores e pacientes a importância de manter as mãos limpas.

“É muito importante agregar na rotina do paciente internado eventos que normalmente estão acontecendo fora do âmbito hospitalar, e poder fazer com que eles vivam aqui dentro também. Então trazer o carnaval aqui para o hospital, ainda mais com um tema importante sobre segurança do paciente, possibilita descontração e aprendizado. Não só para os usuários, mas também para toda equipe hospitalar”, falou Patrícia Hermes, diretora geral do HRPC.


Outras ações:

Os enfeites e adereços usados no bloquinho de carnaval foram produzidos pelos próprios pacientes internados, como forma de terapia ocupacional e mobilização fora leito com a temática proposta.



“A oficina de confecção de máscaras foi uma proposta da equipe de Terapia Ocupacional com suporte da equipe multiprofissional, direcionado aos usuários das Unidades de internação, com o objetivo de resgatar, diante do contexto hospitalar, os aspectos culturais que envolvem o período de carnaval, além de estimular a coordenação motora, com a retirada dos pacientes do leito e processo de recorte e manuseio dos materiais na produção; estimular os aspectos cognitivos como concentração e memória, criatividade e as habilidades de interação sociais, importantes para o processo de desempenho Ocupacional e maior autonomia e independência no dia a dia”, explicou Eduarda Rabelo, Terapeuta Ocupacional do HRPC.

Texto: Débora Barbosa